Imposto de Renda (IRPF)| Declarar em Conjunto ou Separado?

Imposto de Renda

O Cálculo Exato fez uma pesquisa detalhada para você sobre a Declaração de Imposto de Renda e sintetizou neste pequeno artigo quais vantagens e desvantagens de se fazer a declaração IRPF em conjunto e separada.

Ao fazer a declaração de imposto de renda, o contribuinte tem a opção de fazê-la separa ou, caso queira, em conjunta com o companheiro, dependente ou cônjuge.

Neste caso é considerado declarante em conjunto o companheiro, dependente ou cônjuge nos quais os rendimentos tributáveis se apresentem na declaração apresentada pelo contribuinte titula.

Evidentemente devem-se analisar cada situação, principalmente quando ao efetuar a soma dos rendimentos sujeitos à tributação e perceber que estes ultrapassam o limite inicial de incidência dos encargos.

Faça a Simulação do Cálculo de IRRF Com Nossa Calculadora Online!

Tabela de Alíquota do IRRF Atualizada 2019

Confira a tabela de valores do IRRF para cálculo trabalhista.

Base de cálculo mensal Alíquota % Parcela a deduzir
Até R$ 1.903,98
Isento
Isento
De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65
7,5%
R$ 142,80
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05
15%
R$ 354,80
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68
22,5%
R$ 636,13
Acima de R$ 4.664,68
27,5%
R$ 869,36

Declaração de Imposto de Renda em Separado

Inicialmente, cada cônjuge deve incluir na sua declaração o total dos próprios rendimentos e metade (50%) dos rendimentos produzidos pelos bens comuns (o bem, objeto de direito real, cujo titular é mais de uma pessoa), compensando os 50% do imposto pago ou retido sobre esses rendimentos, independentemente da origem dos cônjuges na qual partiu o recolhimento ou a retenção.

Episódio em que haja propriedade em condomínio, cada condômino tributa a parcelo do rendimento que lhe diz respeito, entretanto, somente aquele em cujo nome efetuou-se o recolhimento poderá compensar o encargo em sua declaração de Imposto de Renda; a menos que seja declaração IRPF retificadora (Darf) ou a Dirf.

Opcionalmente, um dos cônjuges inclui na sua declaração seus rendimentos próprios e o total dos rendimentos produzidos pelos bens comuns, compensando o valor do imposto pago ou retido na fonte, independentemente de qual dos cônjuges tenha sofrido a retenção ou efetuado o recolhimento.

Esta situação é vantajosa quando um dos cônjuges tiver menor tributação (em % do imposto) do que outro.

Outro fato importante é de que os dependentes comuns não podem constar simultaneamente nas declarações de ambos os cônjuges.

Declaração de Imposto de Renda em Conjunto

Nesta modalidade, o site cálculo exato apurou que, a declaração deve ser apresentada no nome de um dos cônjuges, incluindo todos os rendimentos, inclusive os provenientes de bens gravados com cláusula de incomunicabilidade ou inalienabilidade, e das pensões de gozo privativo.

Considera-se uma declaração em conjunto aquela em que se apresentem os rendimentos tributáveis ao ajuste anual do cônjuge ou filho, desde que este se enquadre como dependente, nos termos da legislação do imposto sobre a renda.

Optando pela declaração em conjunto, esta, por sua vez, exonera da obrigatoriedade a apresentação a que porventura estiver sujeito o cônjuge ou filho dependente.

Fique atente, pois a opção pela Declaração de Imposto de Renda em Conjunto pode resultar em menor imposto a restituir ou maior imposto a pagar. 

Sugerimos aos contribuintes que façam simulações no programa da Receita, e compare esta opção com a Declaração em Separado.

Gostou? Então Compartilhe! Não custa nada, e você nos ajuda muito!

WhatsApp
Facebook
Twitter
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.